Quinta-feira
19 de Julho de 2018 - 

Controle de Processos

Insira seu usuário e senha para acesso ao software jurídico

Notícias

Newsletter

Cotação da Bolsa de Valores

Bovespa 0,92% . . .

Cotação Monetária

Moeda Compra Venda
DOLAR 3,74 3,74

Previsão do tempo

Domingo - São Paulo, ...

Máx
16ºC
Min
13ºC
Chuvisco

Segunda-feira - São P...

Máx
17ºC
Min
11ºC
Nublado com Possibil

Terça-feira - São Pa...

Máx
19ºC
Min
13ºC
Nublado e Pancadas d

Quarta-feira - São Pa...

Máx
21ºC
Min
13ºC
Nublado com Possibil

Webmail

Clique no botão abaixo para ser direcionado para nosso ambiente de webmail.

Dupla é condenada por porte ilegal de arma e corrupção ativa

Acusado ofereceu U$ 1,1 mil a policiais. Dois homens foram condenados por decisão da 32ª Vara Criminal Central de São Paulo: um pelo crime de porte ilegal de arma e o outro, por corrupção ativa. De acordo com a denúncia, os réus e mais uma pessoa estavam em um carro em alta velocidade e foram abordados por policiais ao ultrapassarem sinal vermelho. Um deles portava arma com numeração raspada, mas o colega ofereceu U$ 1.100 aos policiais para que não fossem levados à delegacia. Quanto à acusação de porte ilegal de arma, a juíza Alessandra Teixeira Miguel destacou na sentença que os relatos dos policiais incriminam de forma contundente o réu e nada existe que possa desabonar seus depoimentos. Além disso, o terceiro passageiro do veículo confirmou que a arma de fogo foi encontrada com o acusado. A magistrada destacou o fato de o réu ostentar péssimos antecedentes criminais e fixou a pena em quatro anos e um mês de reclusão e pagamento de 12 dias-multa, em regime inicial fechado. Sobre o crime de corrupção ativa, a juíza afirmou que a materialidade e autoria do crime foram comprovadas. “Não há como se acreditar que os policiais andassem com mil e cem dólares apenas com o intuito de forjar um flagrante para prejudicar o acusado”, escreveu na sentença. A pena foi fixada em dois anos e quatro meses de reclusão e pagamento de 11 dias-multa, em regime inicial semiaberto. Cabe recurso da decisão. Processo nº 00730066-67.2017.8.26.0050
12/01/2018 (00:00)
© 2018 Todos os direitos reservados - Certificado e desenvolvido pelo PROMAD - Programa Nacional de Modernização da Advocacia
Visitas no site:  224499
Pressione as teclas CTRL + D para adicionar aos favoritos.